15 teses sobre a reencarnação da igreja

4 comentários sobre “15 teses sobre a reencarnação da igreja”

  1. É INTERESSANTE A MANEIRA SIMPLES E ANÔNIMA COM A QUAL O SENHOR JESUS VEM ORIENTANDO E SEPARANDO A SUA “ECLESIA”. ESTE MOVER DO ESPÍRITO ESTÁ ACONTECENDO EM PRATICAMENTE TODO O MUNDO E O ENTRELAÇAMENTO DOS SANTOS ACONTECE EM AMOR, SIMPLESMENTE ASSIM.

  2. Pastoreio uma comunidade em Fortaleza, saí do Sistema denominacional que é empresarial e estou tirando o temple e voltando exclusivamente para as casas que é o lugar de onde nunca deviamos ter saido.

  3. O VERDADEIRO MOTIVO DA IGREJA CATÓLICA OCULTAR A REENCARNAÇÃO!

    A VERDADE!

    Em meados do século VI, a Igreja percebeu que maioria dos fiéis eram
    devotos de algum Santo e que a este atribuía muitos milagres de cura e
    por isso frequentavam a Igreja para rezar por seu Santo de devoção,
    agradecer pelo milagre e pedir por outros. Muitas Canonizações são
    realizadas até hoje, com o único intuito de atrair mais fiéis para a
    Igreja, agora imaginem só, se a verdade sobre a reencarnação fosse
    revelada e as pessoas começassem a questionar que se assim fosse,
    muitos Santos, mesmo sendo pessoas boas, com espíritos bastante
    evoluídos, ainda estariam em processo evolutivo ainda tendo que passar
    pelo ciclo das reencarnações, então como poderiam estes, estarem
    realizando milagres se após sua morte já estariam encaminhados para uma
    nova encarnação? Este questionamento dos fiéis com certeza iria fazer a
    Igreja Católica perder milhões de devotos e é justamente este o motivo
    da Igreja te deixado de ser reencarnacionista.
    Este foi o real
    motivo da Igreja Católica ter rejeitado a reencarnação, pois temia a
    evasão dos fiéis e consequentemente o enfraquecimento da Igreja, então
    adotou a ressurreição, aproveitando que Jesus após a morte,
    verdadeiramente teve o corpo ressuscitado e ressurgiu para todos, como
    sinal de que existe um Deus fiel e poderoso conduzindo a todos nós.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.