Parte III – De Calormânia a Nárnia: o caminho para a verdadeira identidade